Etapa concluída

Acabei de receber um e-mail da minha faculdade informando que meu status foi alterado para concluinte! que felicidade!! palmas para mim! muitos anos, um curso difícil, finalmente chegou ao fim! abriremos uma champanhe. Só que não.

assim que eu vi o e-mail eu me senti feliz, mas isso durou dois segundos, na mesma hora bateu aquela tristeza e depois o pensamento: ” e agora?”

Ai eu comecei a pensar, nas milhões de coisas para fazer:

1-ir na escola antiga pegar um certificado de conclusão de ensino médio.

2- dar entrada no diploma.

3- pedir o histórico oficial.

Essas três tarefas parecem fáceis, mas eu me pergunto: de que adianta um diploma, será que esses anos valeram a pena mesmo? ter feito um curso por amor, primeiramente e não pensando em mercado de trabalho agora está pesando na minha mente. Nesse país, meu amado país, minha profissão, meu sonho de criança, não é nem reconhecido. Só restam pouquíssimas oportunidades, e uma delas eu descartei de novo por amor a mim mesma. Que me perdoem os professores de plantão, eu devo tudo a vocês, aos bons e aos maus. Aos bons por despertarem essa curiosidade aquariana em meu âmago e aos maus por me mostrarem como ser autodidata e que ter mercúrio em aquário facilita muita coisa! Mas, voltando aos professores de plantão, eu definitivamente não tenho a menor vontade de ser professora.

Então como fico eu? olhando para minha declaração de concluinte e me perguntando: deveria ter feito medicina? mas eu não gosto muito de lidar com o público, principalmente os doentes, (já trabalhei em hospital, eles acham que você é feito de ferro e que eles são deuses e que se fodam os outros doentes). Deveria ter feito Biologia? mas eu ia ter que estudar coisas que eu nem tenho muito interesse (não que no meu curso eu só tenha estudado matéria interessantes, até hoje me pergunto porque temos que perder tempo com algumas disciplinas e não com outras, mas enfim, não sou eu quem faz a grade curricular do curso, infelizmente). Deveria ter feito música? ia morrer de fome no Brasil. E como eu não sou boa em esporte, muito menos atuando, eu não tenho exatamente um plano B de sucesso.

Não me levem a mal, eu não me arrependo de ter escolhido minha graduação, me arrependo de ter estudado ela no Brasil. Olha eu amo me país, sou patriota, mas eu sou um pouco realista, afinal meu sol não é em peixes. Meu paÍs não é um país que é o melhor em educação e tenha lá um bom mercado de trabalho inovador. Infelizmente não somos vistos e nem fazemos nada para sermos vistos com esse potencial.

Outro fato que me faz pensar é que eu sobrevivia de bolsa auxilio, uma esmola que o governo acha que vai resolver os problemas dos estudantes, mas, como o nome diz ela só auxilia. O problema é que eles aumentam o preço de tudo, menos o valor da bolsa, ou seja, junto com o e-mail que informava da minha conclusão, lá estava a noticia que eu já esperava mas que ainda me tira o sono: sua bolsa foi automaticamente cortada. De novo: e agora?

Acho que preciso ir a um psicólogo, alguém conhece um que faça caridade?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s