Tive uma pequena discussão ontem com meu namorado… sei que meu horóscopo me avisou para não discutir nesse período que eu tenderia a trazer coisas de muito tempo e eu juro que tentei e tentei muito e evitei muito… mas ontem…

tudo começou por causa do aniversário do irmão dele. até ai tudo bem… eu estava com vontade de ir, sem problemas. até que ele disse que estava com pressa de uma peça de computador que eu trouxe por causa do aniversário do irmão. a pessoa L queria usar os dois computadores do E para jogar e um amigo do trabalho do meu namorado iria para o aniversário ( eu acho provável que ele leve o computador dele também). mas o L tem um computador também, mas que ele não quer usar para jogar porque ele fala que é muito ruim, entretanto pra mim isso é uma desculpa porque o L é extremamente mão de vaca, ao invés de melhorar o computador pessoal dele, ele prefere usar o do irmão porque ele sabe que o irmão vai gastar dinheiro e melhorar os dele.

vou ser sincera, como boa aquariana, existem coisas que eu converso muito bem e sou muito eclética, mas, graças a co-regência de saturno, tenho algumas regras e essas são inquebráveis. tem algumas coisas que eu não discuto e outras que eu fico extremamente irritada de ouvir. algumas dessas coisas são: religião, esportes, novela (não assisto novela) e o assunto que não suporto é fofoca, principalmente de quem eu não conheço. e infelizmente… a família do meu namorado é fútil o suficiente pra só saber falar de esportes (, futebol – a maioria esmagadora dos homens), novela e fofoca ( todas as mulheres sem muita excessão). então me resta, como vocês viram os pirralhos ( como meu namorado se refere aos primos adolescentes) e meu namorado. ( não tenho muito assunto com eu cunhado e menos ainda com minha cunhada consorte, que provavelmente vai ficar grudada na família dela e nos amigos dela que ela convidou. – o que é justo). só que as meninas, são tão fúteis como as tias e estão naquela faze de serem assim, são adolescentes, uma ou duas como 17 ou 18 e o restante são garotos que só sabem falar de joguinhos.

Meu namorado fica com os primos falando de joguinho do celular e jogando no celular, as meninas (3 na verdade) ficam falando de garotos, pintura de cabelo e coisas da idade, os adultos de assuntos que eu prefiro ficar muda, ou as vezes, é só o que me resta e eu fico abandonada no canto. eu até poderia ficar do lado de fora que alguém puxaria conversa comigo (5 minutos depois desistiria), mas a família dele adora um churrasco, daqueles com carvão, muita fumaça e muito cheiroso, nada contra churrasco, mas eu tenho asma, e o quintal é pequeno. Adeus quintal… eu fico restrita a ficar dento de casa. como eu não tenho ninguém para conversar eu fico no quarto do meu namorado, e como não tem mais nada pra fazer eu fico no computador dele, admito, jogando. eu adoro the sims e no meu pc de casa o novo não roda, então tenho tudo instalado lá… mas é a única coisa que me resta pra fazer… eu não gosto de joguinho de celular… eu não vejo novela, eu não fico reparando na vida alheia e sei que os tios do E ficam desconfortáveis de só ter eu de mulher no meio da conversa deles ( eles acham que eu vou me importar se eles falarem palavrões, e termos mais chulos). na verdade eu tenho 2 amigas mulheres e o restante são garotos.

mas agora meu único refugio se perdeu, meu namorado não vai ficar comigo (francamente ele é a única pessoa que consegue me acompanhar em uma conversa) e ainda por cima eu não vou ter pra onde fugir…

Tudo só pra dizer qual foi o motivo que gerou a discussão que o meu horóscopo me mandou evitar… tudo começou por causa dos fatos acima…

ai meu namorado mandou a seguinte frase: ” quer ficar comigo, mas sempre nos seus termos” (a vantagem de discutir pelo what’s é que você fica com o registro fiel das coisas)… Ahhhhh meus amigos, ai não prestou… ele apertou justamente o botão “exploda”.

eu comecei a falar… as reclamações do meu namorado é que ele queria que eu chegasse fizesse um boquete nele, dançasse sensualmente para ele, fizesse outro boquete, deitasse ele e fizessemos sexo nas posições que ele mais gosta mesmo que me machucasse, mas que se foda, o prazer dele fosse prioridade. e depois eu simplesmente deitaria e não reclamasse que ele fosse gastar a energia acumulada do joguinho me ignorando completamente e então ele deitaria veriamos tv e eu estaria satisfeita.

eu não tenho tesão realmente pelo meu namorado, não existe exatamente de mim pra ele aquela coisa de queimar, quando ele me dá prazer eu realmente gostaria de transar por horas, mas na maioria das vezes eu só quero que ele goze logo porque eu poderia me divertir mais fazendo outra coisa, pra mim é simples perda de tempo. engraçado porque em casa eu morro de tesão. eu saio de casa pensando em fazer um amor gostoso, beijar a boca dele… mas quando eu olho pra ele… bem… quando eu chego na casa dele… bem…quando ele abre a boca para falar algo… bem… ele só se afunda. ao ele fica realmente a mercê dos meus hormônios. ele é o namorado que eu ´pedi a Deus, não imagino minha vida sem ele,mas… ele acha que meu tesão tem um interruptor.

eu não gosto de fazer boquete, na verdade eu não me excito nem um pouco, faço mesmo quando eu quero agradá-lo, quando eu estou de muito bom humor. ele fica lá relaxadão e eu chupando ele, assim, assado, desse jeito é bom… machuca um pouquinho a sua garganta mozinho, só pra me dar prazer… o que são 20 minutos? 30 minutos? ahhh gozei, nossa mozin, muito bom, poderia fazer isso mas vezes… agora que tal eu ficar dentro de você? ( se ele fosse sutil assim na última frase eu iria agradecer)

oi? eu fiz uma coisa que eu não gosto, estou entediada e você quer me penetrar? o que você vai fazer?

quando eu faço um boquete nele minha vontade no final é dar um soco na cara dele e fazer ele dormir para que eu possa recuperar o tempo perdido. Ai ele acha que vai segurar no meu peito vai me dar um beijo e eu vou ficar completamente lubrificada e ele vai poder me penetrar e eu vou sentir o maior prazer do mundo…

a única coisa que eu quero dele é que ele seja romântico. mas ele acha que ser romântico é me dar um ramalhete de flores, me entupir de chocolate, me levar pra jantar num restaurante caríssimo a luz de velas, gastar aos tubos comigo no shopping… e eu já disse a ele que não!

sabem o que eu quero dele? é tão simples…

Eu quero que ele ande de mãos dadas comigo , não ele na frente andando rápido e eu tentando acompanhar os passos dele. Eu quero que ele me dê Beijinhos apaixonados, não que ele queira tirar meu tubo digestivo pela boca. quero que ele diga o quanto eu sou linda pra ele e o quanto ele me aprecia, não ter que ficar o tempo todo tendo que mandar ele se comportar porque ele está tentando apertar minha bunda em publico, meus seios, olhar meu decote… Eu quero que quando eu chegar ele me dê um beijo apaixonado e cheio de desejo, me segure em seus braços e me dê aquele abraço que faz tudo ser deixado de lado porque ele está do meu lado, não que ele me jogue na cama e queira transar imediatamente, ou então fique deitado esperando. quero que ele me pergunte se eu dormi bem, como foi o meu dia, o que eu fiz ao invés de simplemente falar no meu ouvido: ” eu to morrendo de tesão, fiquei duro o dia inteiro, to com vontade de transar o dia inteiro!”  ache q isso é o suficiente pra me deixar do mesmo jeito e ainda tenha a audácia de achar que isso é romântico. eu gostaria que ele também se arrumasse com esmero pra sair comigo, da mesma maneira que eu me arrumo pra sair com ele, e não que as pessoas nos olhassem como se fossemos o casal mas dissonante do mundo, porque eu estou arrumada e ele está com a bermuda que ele usa pra ir na padaria, a camiseta mais surrada que ele tem e de chinelo. eu quero que ele entenda que eu tenho ciclos, as vezes eu tenho dias que to explodindo de tesão e ne outras eu estou mais quietinha, e quando eu estou frágil a última coisa que eu quero ouvir é : ” to com vontade de fuder o dia inteiro”. eu queria que quando saíssemos, ele não ficasse com cara de cú, ou então jogando aquele maldito jogo no celular, não comesse correndo só pra ir pra casa transar, dormir e ver televisão. eu quero que ele converso comigo, que ele passeie comigo, que ele entre nas lojas comigo e dê opniões do que ele gostaria, que planeje comigo, que ele coma devagar, ainda conversando, mesmo que seja do jogo, mas que sua atenção esteja em mim primeiramente. e que quando fossemos pra casa dele que ele não simplesmente queira arrancar a minha roupa e transar comigo, mas sim que ele saiba chegar com beijos, como toques, com carícias e sem falar chulamente, que vá devagar com os toques, com as carícias e não “direto ao ponto”e que pelo amor de Deus, não faça nada correndo, depois de 5 anos é  impossível que ele não entenda que eu não sinto nada desse jeito.

agora eu pergunto: o que eu desejo não é algo mais barato que ele pensou? o que eu desejo não é algo que precisa vir antes? tudo bem que o que ele pede é mais “fácil”, mas, como eu vou me sentir a vontade de fazer essas coisas se eu me sinto as vezes uma boneca inflável? que ele só quer me usar para descarregar o estresse dele para porque ele não tem objetivos grandes na vida e por isso se sente entediado?

E foi isso que aquela simples frase e aquela simples discussão desencadeou… meu horóscopo tinha razão…

e sabem o que ele disse no final?

“to cansado, deitei aqui… boa noite”.

 

Anúncios

Vizinhos

ah… os vizinhos… meus inestimáveis perturbadores da ordem é para vocês que eu dedico esse post.

a alguns anos atrás, uns 5 ou 7 anos eu não tinha o menor problema com o lugar que eu moro, tah… eu realmente gostaria de me mudar para a urca, o jardim botânico, mas estava de boa aqui onde eu moro… até os meus vizinhos se tornarem insuportáveis.

talvez a 7 anos atrás, por eu passar o dia inteiro na escola eu não tivesse muito o que reclamar, só um o outro vizinho drogado que resolvia descontar com o cd do seu jorge, do Jorge Versilo, algum grupinho de pagode que eu nunca ouvi falar as 2h da manhã, vez ou outra.

ou então o fato de eu antes ser adolescente e poder contrabalancear com música bem alta. ou criança e não me importar tanto com isso. mas agora está insuportável ( estou pedindo uma bazuca para papai noel a um certo tempo…).

bem… sejamos justas, não são todos que me dão dor de cabeça, pra falar a verdade, alguns eu nem sei que existem… meus descontentamentos são principalmente com 4 apartamentos, e uns moradores do prédio atrás do meu e alguns outros festeiros que moram pelo conjunto…

os vizinhos primeiro que mais me irritam são aqueles que acham que acham que vocês tem o mesmo gosto musical e que ele está te fazendo um favor ao fazer a janelas da sua casa tremerem! tem aqueles que até que colocam uma playlist que vocÇe curte, o problema é que eles resolvem quando você vai ouvir e o quanto. sei que olho por olho não faz lá muito sentido, mas minha vontade é comprar aquelas caixas de som de show na apoteose e colocar minha coletânea completa de Choppin. tenho uma vizinha inclusive que gosta de Belo ( gosto é gosto), ela sempre colocou em alto e bom som quando está fazendo sua faxina semanal aos sábados, ela sabe todas as músicas, e eu também e eu nem sou fã do cara! ai a nova vizinha de outro andar também gosta e resolve contribruir e cantar. eu gostaria principalmente que eles fizessem aulas de canto pra início de conversa. Outra vizinha que me irrita é aquela que acha que canta pra caralho e em inglês… toda vez que estou na cozinha me pego corrigindo o inglês errado dela ( o pior é que descobri que ela canta em eventos…) as músicas dela são boas, a voz dela precisa de treino mas é uma boa voz, mas o inglês mal pronunciado… (agora vocÊs sabem como eu estou inteirada de músicas que eu digo que não gosto)

tem, ou melhor tinha, o vizinho que gostava de ouvir música as 2h da manhã e cantar junto com toda a sorte de xingamentos para ninguém, pois ele estava sozinho em casa. sério! ele parecia maluco, tinha vezes que eu olhava pra casa dele pra me certificar se tinha mais alguém pq a conversa não fazia o menor sentido.

tem aqueles vizinhos festeiros que resolvem fazer aniversário, velório o que quer que dê na telha na entrada do prédio e alugam aquelas caixas de som infernais, mesas… chamam os parentes, sujam tudo, e nem ao menos perguntam se os outros moradores se importam…

tem aqueles que não tem idéia do desperdício e montam suas próprias piscinas de plástico em áreas diferentes do térreo do prédio e além de ficar aquele alvoroço ainda enchem e esvaziam a piscina todo dia ( como ninguém paga água aqui foda-se o planeta), na semana passada tinham 3 piscinas de 3000 L.

tem aqueles que tão pouco se fudendo pro resto do conjunto e resolvem montar um baile de funk e fechar a rua inteira, ou então um pagodão e fechar o principal acesso ao bairro.

tem outros que chegam da balada e ficam nas esquinas bebendo e falando alto enquanto outros ainda querem dormir. outros que nem pra balada precisam ir para isso.

acho que de todos os mais inusitados é aquele que tem um galo, que como todo galo, vai cantar assim que ver a estrela d’alva ( Vênus) no céu como se tivesse um super poder e a pressenti-se. e o mais inusitado, de todos, ever é o terreiro de macumba no primeiro andar de um dos prédios. ( vocês podem me chamar de preconceituosa, mas é que eu não sei definir que vertente da religião eles seguem, uma pessoa do meio já me falou que eles misturam tudo). e advinha que horas eles resolvem bater os tambores? exatamente depois da novela das 8 que antes começava as 9 mas agora começa quase as 10! e no meio de semana! o final de semana é reservado para as grandes festas. ou seja, além de fazerem barulho em lugar impróprio ainda matam animais para seus sacrifícios e depois de terminados os ritos ficam ouvindo o rappa até o dia seguinte bebendo, cantando estridentemente e falando como se estivessem em um sítio longe de qualquer civilização.

agora, de todos o vizinho que mais me dá nos nervos e aquele que já me fez pensar em comprar um arco e flecha, uma bazuca, fazer uma bomba de gás do sono, me fez imaginar os pedaços de carne voando para todos os lados e eu mesma recheando uma torta e entregando para todos os outros vizinhos que não tem simancol ( seria torta para o conjunto inteiro):

a vizinha que berra!

ah… minha vizinha que berra… na moral, nada contra gordo, tenho amigos gordos, não ligo para isso mas essa vizinha consegue colocar um lutador peso pesado de sumô no chinelo e por conta disso ela berra e muito. a cidadâ não tem dinheiro nem pra comprar um crédito para um celular furreca na uriguaiana, não tem muitas vezes  grana pra passagem, mas não passa um final de semana sem tomar uma cervejinha e ficar sentada com sua imensidão enquanto ordena o filho mais velho a fazer isso ou aquilo e tomar conta do mais novo. eu tenho pena do mais velho… o coitado não consegue nem brincar direito, ter colegas, é sempre: fulano ( aos berros) faz isso, fulano, fica de olho no sicrano. porra fulano não falei pra você olhar o fulano, ai… ele tá chorando por sua causa!

vocês devem estar me acusando de fofoqueira, mas a questão é que nem a altura somada a um bom abafador de ouvido consegue bloquear a gritaria dessa pessoa. pra vocês terem uma idéia, ela é mt amiga da vizinha que mora embaixo de mim. a criatura não telefona para amiga, ela simplesmente berra lá de baixo, e a hora que for!  já dei altos pulos da cama as 7 da manhã porque ela resolveu acordar a outra berrando ( o pior é que a amiga dorme no quarto oposto ao meu). E quando aparece um rato na área interna do meu prédio?

e como se não bastasse a pessoa passa o dia inteiro gritando com o menor, a minha teoria é que como ela é gorda ela não consegue correr para impedí-lo de fazer besteira então ela opta por gritar para assustá-lo antes. os gritos já são irritantes, o pior ainda são os palavrões que ela berra a torto e a direito com os dois. varios vizinhos já a alertaram que o fato do pequeno falar palavrão é porque ela diz o tempo todo, mas ela cisma que ele aprendeu na creche.

agora imaginem como é para mim, uma pessoa que precisa estudar, e para os outros vizinhos decentes do prédio aguentar tudo isso? se perguntem como estaria os seus nervos se vc ficasse ouvindo gritaria o dia inteiro, tanto que você vivesse dando pulos da cadeira ou da cama de susto?!

o pior é que eu não ganhei nem paciência nem minha meltralhadora de presente até hoje!

 

boa maneiras

boas maneiras…

se eu te trato com simpatia eu estou querendo sair com vc?

ERRADO!

eu só estou sendo simpática

se eu sou educada, estou a fim de você?

ERRADO!

eu fui ensinada a ser educada com as pessoas, com os animais, com as plantas, até com as pedras.

já perceberam um pouco do que se trata né?

“ó Deus dai-me paciência pois se me der forças eu mato um”. esse tem sido o meu mantra nos últimos anos… principalmente em escola, faculdade, laboratório, festas na casa de amigos…

e aviso é um assunto longo…

mas o que são boas maneiras?

meu namorado responderia automaticamente que é comer de garfo e faca, com a aboca fechada sem fazer barulho e abrir a porta do carro e não me deixar andar na beirada da rua, não arrotar e não falar palavrão na frente de pessoas ou muito novas ou mais velhas uns 10 anos que nós. é dizer bom dia, boa tarde, obrigado pro favor, com licensa, é chamar de senhor e senhora.

ele não está errado mas, a resposta não está completa. eu acho que boas maneira engloba você tratar a outra pessoa, se um estranho a sua mãe, da maneira que você gostaria de ser tratado.

hoje em dia entretanto, temos vivido uma inversão de valores, mas francamente, em muitos casos a culpa é das próprias pessoas que deveriam nos dar educação. quantos filhos e filhas já fizeram um favor para seus pais (mesmo que fosse uma obrigação) e já receberam um obrigado ou um elogio em troca? eu mesma tive uma discussão ferrenha com meu pai certa vez porque ele não quis dizer por favor ao me pedir para pegar umas sacolas de mercado. tudo bem que fosse obrigação minha ajudar meu pai com o peso que era a comida que iria me alimentar e porque ele era meu progenitor, mas a pergunta que ficou martelando na minha cabeça era: ” qual é o erro de ser educado com uma pessoa que convive com você?”

os mais velhos acham que falar por favor é implorar, obrigado só pode ser usado de maneira sarcástica. você só vai usar essas palavras com seus filhos se tiver visita em casa. adivinha quem aprende isso? nós, os filhos! a verdade é que no brasil, pelo menos nas camadas mais pobres, ser educado com seu filho é demonstrar fraqueza, flata da manutenção de hierarquia. a educação é reservada para estranhos.

mas como de grão em grão a galinha enche o papo… vamos crescendo com uma série de valores distorcidos. aquilo que eu gosto de chamar de educação hipócrita. ai a ma~e e o pai falam pro filho que gosta de uma pessoa da escola. seja educado, seja bonsinho pra ela gostar de você. Sabe porque eles dizem isso? Porque eles usaram do mesmo artificio várias vezes para “impressionar”. Só somos ensinados a ser educados para fazer tipo, não para nossa edificação como ser humano. ai é onde ouvimos as seguintes frases: ” antes de casar, fulano não fazia isso…”, ” eu só fui descobrir isso depois que casei”, ” ih… namorado era uma maravilha, casado é esse porcaria…”.

bem, eu acho que boas maneiras é sim não causar a vergonha alheia em um restaurante, em um ônibus, em um cemitério, no céu ou no inferno. acho que boas maneiras é ajudar a limar a carregar, a montar a desmontar o que quer que seja, sendo você XX ou XY e é claro respeitando os limites de seu corpo ( você não pode esperar que um asmático te ajude a encher bolas só com o ar de seus pulmões…). eu acho que boas maneiras é ajudar um pessoa a travessar a rua, é levantar para uma pessoa idosa, um deficiente uma grávida um gestante ou até mesmo um pessoa jovem/adulta que trabalhou e/ou estudou o dia inteiro e você passou o dia na praia, mesmo que você esteja com uma criança de 5 anos pra cima em um transporte coletivo, isso vai ensinar o bom exemplo a ele também ( mesmo que você não esteja em um assento preferencial). é ser educado e oferecer ajuda quanto a uma direção sem ficar encarando o decote alheio ou a bunda alheia e mesmo estado com muita pressa.

é ser gentil com sua namorada, com sua mãe, com seu pai, com seu irmão, é lavar a louça sem reclamar, e não deixar sua mãe, irmã namorada avó tia que acabou de pintar as unhas lavar a louça ( mesmo de luva o esmalte sai). é ajudar um passarinho que está cansado e não consegue voar para a árvore mais próxima…

agora ser educada, ter boas maneiras, não é estar dando em cima de alguém, não se humilhar para alguém…

pensem nisso!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

preferências x racismo

ah… eita assuntinho complicado, principalmente nos dias de hoje

eu sou parda/branca ( não sei definir exatamente), sou hetero. até então problema nenhum, a maioria das pessoas (as verdadeiramente preconceituosas) diriam que eu nasci com sorte… eu não acho, na verdade hoje em dia eu digo que nasci com azar!

mas Sasosy? como? porquê?

muito simples meu amigo, muito simples, é por causa das minhas preferências…

“eu tenho atração por homens, brancos, magros, altos e de cabelo liso ou aquele cacheado que não dá trabalho (o popular cabelo bom), tenho uma loucura a parte por olhos verdes e não gosto de barba/bigode”.

bem… vocês já puderam visualizar o campo minado em que eu piso nos dias de hoje por dizer minhas preferências…

agora, minha amiga que é negra e tem cabelo de um fio mais rebelde, pode abrir a boca para o mundo e dizer que ela tem atração mesmo é por um “negão 2×4”, que todo mundo não está nem ai!

na verdade se eu dissesse que tenho atração por um tipo diferente do que eu realmente tenho, todo mundo iria bater palmas pra mim, mas é só eu dizer: ah não, eu não tenho atração por negros… pronto! a casa cai! “você é racista!” e começam a apontar, perco amigos e por ai vai.

gente, a questão é que francamente, gosto é gosto e não se discute, a quimica do meu corpo se atrai pelo tipo que eu já especifiquei. ora! não é que eu quis! não é que eu sofri lavagem cerebral e estou sendo controlada pelos brancos opressores. NÃO!!! pelo amor de Deus.

você gosta de espinafre? não? legal.  sim? legal. eu odeio!

você gosta de quiabo? não? legal. sim, legal. eu também gosto, mas não dele babado.

você gosta de cerveja? não? legal. sim, legal. eu não gosto.

você gosta de bebida doce? não? legal. sim? legal. eu gosto.

você sente atração por negros? não? legal. sim? legal.

Viram? é simples! gosto é gosto preferência é preferência, quimica é quimica. e no qe isso muda a sua vida? em nada, é minha preferência. então eu deveria dizer que a minha amiga negra é racista, porque ela prefere um rapaz negro, musculoso, voz grossa, lábios que dá pra você morder por uma eternidade, e ela não se interessa pelo rapaz branco de olhos azuis, físico de minhoca.

todos pertencemos a mesma espécie ( lembram do ReFiCOFaGE?)

Reino Filo Classe Ordem Família Gênero Espécie ?

Domínio: Eukaryota
Reino: Animalia
Subreino: Eumetazoa
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Mammalia
Subclasse: Theria
Infraclasse: Eutheria
Ordem: Primates
Subordem: Haplorrhini
Infraordem: Simiiformes
Superfamília: Hominoidea
Família: Hominidae
Subfamília: Homininae
Tribo: Hominini
Subtribo: Hominina
Género: Homo
Espécie: H. sapiens
Subespécie: H. s. sapiens

 

Lindo né?

pois e, eu respeito todos, mesmo se aparecer um homo sapiens sapiens cuja pele é verde na minha frente (acho que joguei the sims demais!), eu vou respeitá-lo como eu gostaria de ser respeitada. mas vamos combinar, se fossemos mesmo todos iguais não seríamos humanos. na verdade nosso reino nem seria o animalia, deveria ser robótica, pois seríamos robôs isso sim.

viva a diferênça! sempre vemos isso por ai! estão VIVA A DIFERENÇA, DE VERDADE! não é preconceito meu, mas uma preferência, não quer dizer que vouu sair por ai ateando fogo em todos aqueles que não são como eu ( não sou Hitler ok?! Posso ser meio autoritária, mas não sou o Hitler).

a verdade é que nos dias de hoje eu me sinto sim discriminada, eu tenho receio de falar minhas preferências,  falo baixinho as vezes, nem falo quando estou no meio de desconhecidos porque sei lá né… principalmente se eles forem negros. mas sabe porquê? porque eles serão os primeiros a entender errado ( pelo menos a maioria). muitos irão virar a cara pra mim, outros vão se sentir ofendidos… e não é nada disso. E eu fico muito triste com isso. eu imagino todo o peso de anos e anos sendo tratados piores do que o cocô do cavalo do bandido, não posso dizer que entendo realmente porque eu não passei por isso, e é obvio que vocês irão desconfiar até da sombra de vocês quanto a isso ( Gato escaldado tem medo de água fria!), vocês foram feridos, machucados, abusados, injustiçados, mas creio que não seja justo também comigo .

há outros assuntos polêmicos a respeito de preferência, mas como esse é um dos que eu mais tenho ficado entristecida e incomodada comecei a falar sobre ele primeiro.

por exemplo:

eu não gosto de barba bigode, pêlos abundantes pelo corpo, a única excessão é o cabelo ( eu mesma tenho um cabelo enorme). ai eu digo isso e os barbudos já me olham atravessado. querido, você pode ter sua barba, com ou sem germes , com ou sem fungos… ok! só não venha querer que eu sinta atração por você se você estiver com ela, e eu não vou parar de falar com você por isso, eu só não vou querer beijar você, eu não beijava nem o meu pai quando ele deixava a barba crescer.

eu não gosto muito de pêlos pelo corpo, na verdade prefiro aquele tipo básico de nadador das olimpiadas, raspa o corpo todo e deixa só o cabelo na cabeça que a toca cobre, perfeito! eu odeio suor e no rio de janeiro convenhamos… muito pêlo é sinônimo de suor… (tenho pena no Toni Ramos quando precisa gravar cenas externas no verão). meu namorado mesmo, chega a ser nojento, o suor escorre da perna dele, se ele ficar parado cria uma poça ( ele se convenceu e diminuiu e muito os pêlos). mas eu não vou deixar de ser sua amiga se você tiver muitos pêlos. e nem adianta vir com essa de cheiro de macho…

é a próxima preferência da lista. cheiro de macho, cheiro de macho é o caralho! cheiro de homem porco isso sim. não tem nada pior do que você toda cheirosinha de hidratante, pele macia e seu acompanhante com aquele ranço de dia inteiro, parecendo o “ajudante do pedreiro que teve que sair as pressas do canteiro de obra e não deu tempo nem de lavar o suvaco pra renovar o desodorante!” ( escolhi o ajudante pq ele é o que mais trabalha…) eu amo quando passo perto de um cara cheiroso ( mulher também, me controlo pra não perguntar qual é o perfume), não precisa também se encharcar com perfume, entrar num tonel de perfume, lavar a roupa com o perfume, beber perfume, confundir o perfume com creme de cabelo. não, ai você só vai conseguir atacar a minha asma! e pior ainda quando é aquela pessoa que come porcaria o dia inteiro sete dias por semana, 4 semanas por mês, 12 meses por ano, 10 anos por década. Sim! o suor de vocês, a pele, tem tudo a ver com como vocês se alimentam, se vocês se entopem de porcaria vão suar porcaria, seu corpo quer se livrar de tudo ruim que vocês estão engolindo, e advinha… o suor também elimina toxinas…( sabia que sua alimentação também tem a ver com o seu sêmem, até com o cheiro dele? sim ele tem cheiro e nós sentimos o odor). ai você vai ter um amasso com a pessoa e ela começa a suar… vc vai lamber o pescoço, dar aquele cheiro, ela te abraçar e …. pronto, lá está a catinga e lá se foi o meu tesão!

outra preferência que dá muito muito rolo, é a religião ou a falta dela. Eu acredito em Deus, como eu também acredito em astrologia, como eu acredito que fadas existem, como eu acredito em multiverso ao invés de universo. mas a coisa que eu mais detesto é quando a pessoa ( nesse caso os ateus costumam ser mais chatos) insistem em me perguntar, em questionar em me “desreligiogisar” ( inventei essa palavra agora), ou seja, me desconverter , ou converter ao ateísmo. cara… eu não vou tentar te converter, nem te perguntar porque, você tem seus motivos, eu não acredito que eu seja uma missionária, nem nada do tipo, eu vou respeitar a sua escolha, dá pra você respeitar a minha? podemos falar de muitas coisas, muuuuuuuitas coisas, podemos ser amigos, mesmo se você acreditar que o universo foi criado por uma batata. se você for boa pessoa, ótimo, isso é o suficiente. eu não vou te convidar para ir na igreja ( até pq eu só vou mesmo em ocasiões especiais, não creio que preciso estar na igreja pra sentir deus e suas maravilhas… mas isso é outra coisa), no máximo eu posso te convidar para ir me ouvir cantar com o coral se você se interessar por música, mas não é tentando te converter, é pq vc é meu amigo e eu gostaria que meu amigo me prestigiasse, mas não vou deixar de ser sua amiga se você não for, eu irei entender e continuar gostado de você.

eu acima de tudo acho que cada um tem seus direitos e esses devem ser respeitados e defendidos até o limite no qual eles não impeçam os direitos dos outros humanos. é aquilo: cada um no seu quadrado. por exemplo: eu tenho uma vizinha que adora o Belo, é super mega fã, ok, é direito dela ouvir o artista dela, cantar as músicas, mas ela não tem o direito de obrigar quem não gosta do Belo ( no caso eu, e poucos vizinhos) a ouví-lo. Se eu resolver fazer a mesma coisa, ela vai se ver obrigada a ouvir música clássica, que e algo que ela não gosta… mas os meus vizinhos ficarão para outro post.

é como mamãe sempre diz: ” não faça com o outro o que você não gostaria que fizessem com você”!

 

 

 

Férias

Já é natal da Leader magazine…..

 

É o fim! Fiz a última prova de concurso programada para esse ano, hoje. Não acho que foi a minha melhor prova, até porque não consegui estudar toda a matéria e claramente havia aquela questão que foi feita especificamente para aquela que trabalha com aquilo. Mas, vamos esperar pelos resultados.

A melhor parte é que agora eu posso me dedicar aos 14 livros que estão esperando para serem lidos, para as séries que estão esperando para serem vistas, para o livro que eu gostaria de escrever, para a fan fic que eu gostaria de escrever, as regras do RPG de mesa que eu jogo uma vez por mês, os animes, os doramas, o curso de inglês online, o curso básico de astrologia e se sobrar, um tempinho nos finais de semana, ao meu namorado. E ainda tem os livros que meu namorado tem para me entregar em doses terapêuticas que ele comprou pra mim na Bienal!

Acho que não vai sobrar tempo para dormir.

Acho que tem que sobrar um tempinho p’ras amigas e para aquele amigo que eu estou tentando marcar um ensaio a uns certos anos e nunca tenho tempo (será que terei dinheiro pra isso tudo?). Seria muito legal um tempo para viajar, mas não depende de mim, um tempo de bob na praia.

 

Vamos aguardar. Quem sabe eu também não paro pra pensar no meu guarda-roupas?

 

Rio Doce x França

Desde ontem estou vendo comentários no facebook a respeito de pessoas se solidarizarem com o atentado na frança e a maioria deles negativos. A principal mensagem dos comentários é que os brasileiros deveriam olhar pelo brasil e não para os franceses, que a frança consegue se virar e não precisaria de toda essa atenção de nossa parte.

Cara, sinceramente, vão se fuder! não é uma questão de esquecer o próprio país, mas é um questão de ser humano. Ai vai ter aquele que vai dizer: ” ah… mas o que acontece no Brasil nem vai parar na mídia. Lá não, rapidinho vai ter pais tal ajudando, ajuda internacional. Aqui ninguém se mexe pra ajudar.” Concordo! mas do meu ponto de vista um país, cuja população só quer saber de ficar vendo gente pelada rebolando na televisão, futebol, o capitulo da novela, está bastante tranquilo com a sua própria situação.

É verdade que devemos culpar os políticos pela situação do nosso país? sim, é verdade, mas não só a eles! Quem fica sentado de braços cruzados também, mamando nas tetas do próprio país, é o seu povo. Brasileiro é preguiçoso, brasileiro é malandro, o famoso “jeitinho brasileiro” é que está custando a ruína do país. Aqui “dá-se jeito” pra tudo, ninguém conserta nada.

Na boa, um país assim, com um povo que só sabe mendigar esmolas e viver de gambiarra, eu não ia me preocupar em ajudar, é só mais gado para o abate! Como é que a mídia vai enxergar o Brasil um país de potêncial se seu povo mesmo não se enxerga?

Dá muito mais gosto ajudar uma pessoa que você vê que quer sair da lama não é?

Quanto a simpatizar com a dor do outro… isso é ser humano cambada de ignorantes. Como é que você quer que se sensibilizem por você, se você não se sensibiliza pelo outro? Não somos o povo mais generoso e acolhedor? Cadê essa característica? Nosso coração é tão pequeno e preconceituoso a ponto de só enxergar aquele que nasceu sobre o mesmo solo?

Na minha opnião é por causa dessa falta de cortesia, essa mesquinhez, que o Brasil está do jeito que está. Pouco a pouco nossa vida passou do lema: “coração de mãe: sempre cabe mais um” para ” cada um por si e que se foda o resto”.

Repararam que tudo hoje virou um campo de batalha de grupos? Não nos vemos mais como um povo, nos vemos como grupos que foram separados na aula e estão concorrendo por uma estrelinha dourada no final do bimestre.

Somos mais de 200 milhões de pessoas. Somos 200 milhões de brasileiros, não 10mil cearences ou 6 milhões de negros, 20 milhões de brancos, 30 mil Gays, 100 milhões de mulheres , 100 milhões de homens ( apenas os 200milhões confere com o censo ok?! o resto é exemplo). NÃO!!! pelo amor de Deus, Buda, Maomé, alá, Odin, Oxossi, pelo ódio de Lúcifer, quem mais vocês quiserem, ai fica a cabo de vocês, somos 200 MILHÕES  de brasileiros, foda-se se vc é XX ou XY ou XXX ou XXY. Somos 200 MILHÕES de brasileiros que ficam sentados coçando o saco esperando um punhado de gente, um grupinho, decidir nosso futuro, o que devemos ver, o que devemos estudar, o que devemos comer, como devemos nos vestir. A quem devemos atacar ou defender. No fundo somos preguiçosos! Mas mesmo sendo 200 MILHÕES ainda tem gente que acha que ceder um espacinho do nosso coração brasileiro a outros que compartilham nossa espécie (Homo sapiens sapiens) é absurdo! Vocês é que são absurdos!

Preferimos mil vezes julgar e criticar do que levantar do sofá, da cadeira do pc e ir lavar uma louça para nossa própria mãe, ou esposa, ou avó, ou marido, ou pai ou avô, quem dirá  levar uma garrafa d’água a um posto de coleta para um desconhecido!  “ah não, não preciso ir, vai ter um monte de gente fazendo isso!” não é caro colega brasileiro? E não duvido nada que essa frase será proferida por algumas das pessoas que estão criticando as que se sensibilizam com alguém que não comeu do mesmo pão que o português da padaria insiste em dizer que é francês.

Lembrem-se somos 200 milhões, tem muito pais ai que é um décimo da nossa população e são um exemplo, mas nós somos quase 200 milhões esperando o maná cair do céu ao invés de arregaçar nossas mangas e lutar pelo nosso próprio país.

Um país de faz com educação, saúde e esforço, não com competições esportivas. Não sejamos apenas 200MILHÕES só na hora de cantar o hino nacional e vestir a canarinho!

Etapa concluída

Acabei de receber um e-mail da minha faculdade informando que meu status foi alterado para concluinte! que felicidade!! palmas para mim! muitos anos, um curso difícil, finalmente chegou ao fim! abriremos uma champanhe. Só que não.

assim que eu vi o e-mail eu me senti feliz, mas isso durou dois segundos, na mesma hora bateu aquela tristeza e depois o pensamento: ” e agora?”

Ai eu comecei a pensar, nas milhões de coisas para fazer:

1-ir na escola antiga pegar um certificado de conclusão de ensino médio.

2- dar entrada no diploma.

3- pedir o histórico oficial.

Essas três tarefas parecem fáceis, mas eu me pergunto: de que adianta um diploma, será que esses anos valeram a pena mesmo? ter feito um curso por amor, primeiramente e não pensando em mercado de trabalho agora está pesando na minha mente. Nesse país, meu amado país, minha profissão, meu sonho de criança, não é nem reconhecido. Só restam pouquíssimas oportunidades, e uma delas eu descartei de novo por amor a mim mesma. Que me perdoem os professores de plantão, eu devo tudo a vocês, aos bons e aos maus. Aos bons por despertarem essa curiosidade aquariana em meu âmago e aos maus por me mostrarem como ser autodidata e que ter mercúrio em aquário facilita muita coisa! Mas, voltando aos professores de plantão, eu definitivamente não tenho a menor vontade de ser professora.

Então como fico eu? olhando para minha declaração de concluinte e me perguntando: deveria ter feito medicina? mas eu não gosto muito de lidar com o público, principalmente os doentes, (já trabalhei em hospital, eles acham que você é feito de ferro e que eles são deuses e que se fodam os outros doentes). Deveria ter feito Biologia? mas eu ia ter que estudar coisas que eu nem tenho muito interesse (não que no meu curso eu só tenha estudado matéria interessantes, até hoje me pergunto porque temos que perder tempo com algumas disciplinas e não com outras, mas enfim, não sou eu quem faz a grade curricular do curso, infelizmente). Deveria ter feito música? ia morrer de fome no Brasil. E como eu não sou boa em esporte, muito menos atuando, eu não tenho exatamente um plano B de sucesso.

Não me levem a mal, eu não me arrependo de ter escolhido minha graduação, me arrependo de ter estudado ela no Brasil. Olha eu amo me país, sou patriota, mas eu sou um pouco realista, afinal meu sol não é em peixes. Meu paÍs não é um país que é o melhor em educação e tenha lá um bom mercado de trabalho inovador. Infelizmente não somos vistos e nem fazemos nada para sermos vistos com esse potencial.

Outro fato que me faz pensar é que eu sobrevivia de bolsa auxilio, uma esmola que o governo acha que vai resolver os problemas dos estudantes, mas, como o nome diz ela só auxilia. O problema é que eles aumentam o preço de tudo, menos o valor da bolsa, ou seja, junto com o e-mail que informava da minha conclusão, lá estava a noticia que eu já esperava mas que ainda me tira o sono: sua bolsa foi automaticamente cortada. De novo: e agora?

Acho que preciso ir a um psicólogo, alguém conhece um que faça caridade?